O frio no frio

Por Fabiana Novello

Campos do Jordão

4 graus foi a temperatura mais baixa que peguei em Campos de Jordão, neste fim de junho de 2017. Não sou do tipo de pessoa que gosta de lugares gelados no inverno, que procura por eles. Eu prefiro fugir do frio no frio. Mas dessa vez valeu a pena sentir o vento gelado que faz os olhos lacrimejarem sem parar.

Fazia tanto tempo que eu não ia a Campos que nem sei dizer quanto. Acho que a última vez que estive na cidade foi num bate e volta a trabalho, para cobrir autoridades na abertura de uma das edições do Festival de Inverno. E, pra falar a verdade, a única coisa que me lembro dessa viagem é da neblina na estrada. Eu não gosto de viajar de carro à noite nem de madrugada, ainda mais com neblina. A sorte é que quem dirigia era o motorista da rádio CBN, onde eu trabalhava na época. Eu não encararia a direção numa situação assim.

Agora, nesse meu retorno, não teve neblina nem motorista. Eu mesma enfrentei as curvas da estrada que dá acesso a Campos do Jordão. E provavelmente eu era a única motorista da estrada que dirigia na velocidade permitida. Os outros todos (ou quase todos) estavam bem mais rápidos, abusando das ultrapassagens perigosas. Quer dizer, perigosas pra mim, né? Para eles, não. Certamente a errada era eu: uma tartaruga no meio do caminho deles.

Mas enfim, eu voltei a Campos do Jordão agora por um motivo muito especial: o casamento de uma amiga querida que o jornalismo me deu. Um casamento lindo, numa paisagem incrível e cheio de alegria. E isso já tornou a viagem maravilhosa.

Campos é uma graça, mas todos sabem que o inverno é a época que a cidade fica mais cheia. O trânsito é muito carregado, os lugares são lotados, com fila pra beber e pra comer. A cidade fica pequena demais pra tanto turista. Por isso, é preciso paciência. Eu optei por andar a pé, apesar do frio. De manhã e à tarde, o sol deixa a caminhada agradável.

Os preços também são altos. É preciso pesquisar bem a hospedagem pra conseguir um valor bom em pousadas e hotéis. E sempre tem a possibilidade de alugar uma casa pra quem vai em turma grande. O chocolate, uma das atrações das guloseimas locais, é bom, mas não vale o preço: 100g por R$ 17,90 me parece um exagero.

E enquanto muitos preferem os bares, restaurantes e lojas de Capivari, eu prefiro as árvores e o céu azul. Aliás, as paisagens de Campos do Jordão são lindas, são a maior atração da cidade.

Sobre fabiana novello

jornalista que gosta de lugares e histórias
Esse post foi publicado em Inverno, Viagem e marcado , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s