As tulipas de Istambul

Por Silvana Salles*

As tulipas de Silvana Salles, em Istambul, Turquia.

As tulipas de Silvana Salles, em Istambul, Turquia.

Os turcos contam que as tulipas ficaram famosas no Ocidente por pura usurpação dos holandeses. Entre as muitas coisas que aprendi (sobre mim e sobre os lugares por onde passei) durante minha breve passagem pela Turquia, uma delas é que os guias de turismo farão de tudo para lhe mostrar um arraigado sentimento de nacionalismo que, dizem eles, seria uma das mais fortes características do país. É o discurso oficial turco. Outra lição, muito importante, é que as tulipas são nativas da Anatólia e áreas próximas.

Eu nunca havia viajado totalmente sozinha, nem para tão longe, até abril de 2011. Quando cheguei a Istambul, estava nublado, frio, as saídas do aeroporto estavam congestionadas… Parecia uma cidade grande como qualquer outra – até que notei que todos os canteiros estavam apinhados de tulipas.

Eu já sabia que abril era o mês do festival das tulipas na antiga capital do Império Otomano. Mesmo assim, era impressionante ver todas aquelas flores colorindo a cidade. Eram pétalas vermelhas, amarelas, brancas, laranja, cor de rosa; algumas, inclusive, eram bicolores. Era impressionante também perceber como, em apenas dez dias, elas cresciam, ficavam gordinhas e começavam a abrir as pétalas.

Istambul é uma cidade incrível em muitos aspectos. Tem belíssimos palácios e monumentos, vistas fantásticas, museus bem organizados, bares baratos, comida deliciosa, uma multidão de boleiros e gente disposta a uma boa conversa de boteco. Istambul tem o Bósforo, com suas inúmeras balsas, barquinhos e navios cargueiros. E, sobretudo, Istambul tem muita, mas muita história para contar a quem se interessar.

No entanto, Istambul é também uma cidade com problemas parecidos com os de São Paulo. Tem trânsito pesado, bolsões de extrema pobreza, especulação imobiliária agressiva, violência, políticas higienistas e uma população de mais de 10 milhões de habitantes circulando pelo espaço urbano todos os dias. Por isso mesmo que eu guardo com carinho a lembrança das praças bem cuidadas.

Entendi que as tulipas, que todos os anos são plantadas pela prefeitura para o festival de abril, não estão nos canteiros simplesmente para embelezar as ruas. Elas têm uma missão muito maior: reforçar a identidade de uma cidade que, como outras grandes metrópoles do mundo, poderia ter demolido e esquecido suas raízes. As tulipas também contam histórias aos visitantes.

*Silvana Salles é jornalista e tem o blog polemicagratuita.wordpress.com

Sobre fabiana novello

jornalista que gosta de lugares e histórias
Esse post foi publicado em Cidades e marcado , , , , , . Guardar link permanente.

4 respostas para As tulipas de Istambul

  1. Pra mim, a tulipa é a flor mais linda que existe. Istambul deve ser incrível.

  2. Um texto que ensina (pois não sabia que as tulipas eram originárias da Anatólia), e envolve pela sensibilidade com que foi escrita.

  3. Pingback: Istambul e as tulipas de abril | Polêmica Gratuita

  4. Marcos Abreu disse:

    Infelizmente, não cheguei em Istambul em abril para apreciar tal espetáculo, mas é impossível não amar esta cidade tão antiga, porém, tão moderna. Silvana Salles, o seu texto além de instrutivo é também leve, como um bate-papo com amigos. Parabéns.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s